Posts Tagged ‘ovos-moles’

“confraria dos ovos moles de aveiro – 1º capítulo”

Dezembro 10, 2009

integrado nas comemorações dos 250 anos da cidade de aveiro, irá decorrer no próximo dia 12 de dezembro, pelas 13 horas, o 1º capítulo da associação cultural confraria dos ovos moles de aveiro. a cerimónia capitular, que decorrerá no salão nobre do hotel imperial (aveiro), contará com a presença de diversas confrarias gastronómicas e báquicas nacionais, assim como com a presidência da federação portuguesa das confrarias gastronómicas, a par das forças vivas da cidade, do poder local ao turismo e outras entidades culturais e eclesiásticas.

serão entronizados, no decorrer da celebração, os 24 confrades fundadores, assim como demais efectivos e de honra, quer individuais quer institucionais.
 
a mais recente confraria gastronómica do país
idealizada numa conversa entre amigos em dezembro de 2008, a confraria dos ovos moles de aveiro rapidamente ganhou importantes adeptos, ideias e força, culminando num ano intenso e de múltiplos desafios com vista à promoção dos deliciosos doces conventuais com desenhos marítimos, ex-libris inesquecível da cidade. tais doces, requintado artesanato representativo de aveiro, viriam a ver o reconhecimento europeu em abril último, com a comissão europeia a incluí-los na lista de produtos alimentares com a denominação de “indicação geográfica protegida”, primeiro doce português a receber tal atribuição.

receita original concebida inicialmente pelas carmelitas da cidade no séc. XIX, confeccionados somente com gema de ovo, açucar e água, o seu segredo tem sido mantido ao longo de várias gerações.

a confraria dos ovos moles de aveiro assume assim uma missão de grande responsabilidade na promoção deste famoso doce tradicional, aquém e além fronteiras, o que se traduzirá inevitavelmente pela promoção da região d´aveiro.

[associação cultural confraria dos ovos moles de aveiro]

“a imagem que tenho de ovos moles de aveiro seria fixante.”

Abril 7, 2009

ovos_moles_aveiro_igp1

“”a comissão europeia incluiu hoje os “ovos moles de aveiro” na lista de produtos agrícolas e alimentares com a denominação de Indicação Geográfica Protegida (IGP), passando assim esta especialidade portuguesa a estar protegida pela legislação comunitária.””

http://dn.sapo.pt/inicio/portugal/interior.aspx?content_id=1193962&seccao=Norte 

a primeira imagem que tenho continua doce, e reconhecida… já sei também porque.

 

“Caetano Veloso já tem letra e… nome”!

Fevereiro 4, 2009

caetano_veloso_letra_menina_da_ria 

os “meus olhos ouviram em aveiro” em julho de 2008 e durante o único concerto em portugal da tournée, e de tão “seriamente pensada lá”… https://anajesusribeiro.wordpress.com/2008/10/29/menciona-seriamente-la-o-que-ca-seriamente-pensou/… eis que a “menina da ria já soletra versos”!

http://www.emaveiro.com/scid/emaveiro/defaultArticleViewOne.asp?categoryID=691&articleID=4266

A letra de “menina da ria”

uma moça
de lá do outro lado da poça
numa aparição transatlântica
me encheu de elegante alegria
(ai, portugal, ovos-moles imagem_ovos_moles_aveiro, aveiro)
menina da ria
menina da ria
menina da ria
e uma preta
(parece que eu estou na bahia)
tão linda quanto ela, dizia
no seu português lusitano:
“pode o Caetano tirar uma foto?”
menina da ria
menina da ria
menina da ria
arte nova, um prédio art-nouveau numa margem
em frente à marina-miragem:
os barcos na ria. e depois
uma taça sobre o pubis glabro, um estudo
nenhum descalabro se tudo
é sexo sem sexo em nós dois
menina da ria
menina da ria
menina da ria

————

NOTA: só não percebi o DR da foto e sem autorização (idem publicada no Diário de Aveiro), “e tenho já nome à vista-link”.

… e quando “a letra do Caetano Veloso fluiu como o doce legítimo que é de aveiro”.

“para ser grande, sê inteiro”

Janeiro 31, 2009

“para ser grande, sê inteiro:                   imagem_ovos_moles_aveiro1
nada Teu exagera ou exclui.
sê todo em cada coisa. põe quanto és
no mínimo que fazes.
assim em cada lago a lua toda
brilha, porque alta vive”                 

Ricardo Reis [um dos três heterónimos de Fernando Pessoa]