Posts Tagged ‘humildade’

“o apoio dos colegas determinou a vitória!” [Luís Filipe Machado Costa]

Fevereiro 3, 2009

vencedor_portugues_anadia_concurso_jovens_tradutores

quis conhecer o Luís Filipe Machado Costa, aluno do 12º ano, 17 anos e com média de 20 a inglês, e o vencedor português do concurso europeu de tradução! 

o exame de “inglês para portuguese”: http://ec.europa.eu/translation/contest/documents/PDF/PT.pdf

 

a foto denuncia a “reconstituição do exame” a meu pedido, o “mesmo” que foi feito no colégio Nossa Senhora da Assunção que fica situado no lugar de famalicão, freguesia de arcos e no concelho de anadia.

claro é que, neste “nosso exame de 3 de fevereiro de 2009”, ser visível o acrescento expressivo de já ele saber da vitória.

a professora “vigilante” do mesmo exame, Maria Teresa Serra de Matos Nunes ajudou-nos, hoje a reviver o cenário que, em simultâneo no dia 27 de novembro de 2008 realizou-se com os outros 26 estados-membros europeus, nesta mesma sala e com os mesmos alunos, “bem ditos” colegas do Luís. e até o mesmo dicionário em primeiro plano.

o Luís distinguiu-se sem sombra de dúvidas e foi congratulado por portugal como um dos 27 vencedores de escolas secundárias europeias. mas… “o apoio dos colegas determinou a vitória”… lançou o Luís como sentimento e deixa que entendi como título.

e um jovem “sem extravagâncias”, termo que usou e forma de ser que assumiu que (tão bem) me pareceu sinónimo de humildade.

[[durante o dia de ontem, em aulas e no colégio, o “vencedor por portugal” esteve incontactável via telemóvel. enviei mensagem escrita identificando-me e logo de manhã, e nada.

o dia todo a tentar em vão, não tive outra solução, de profissional determinada (e porque, da ausência de resposta já eu pensava que me tinham facultado o número errado) senão voltar a tentar mas à noite e para o fixo de casa.

o “vencedor por portugal” veio ao telefone e deu-me as seguintes palavras após a minha primeira abordagem de tentativas sem sucesso para falar com ele: “sabe como é que é… em aulas…”.

“sem extravagâncias”, o Luís Filipe Machado Costa.]]

é verdade! a fertilidade mental deste jovem que ganhou um prémio europeu e “a vida goes on”, tal e qual como é.

a bioquímica é a “ciência de mãos dadas com as línguas” que pretende concorrer na universidade de aveiro. “esta área de investigação já sei que é na UA”, disse o Luís Filipe Machado Costa, natural da mealhada.

uma experiência colectiva para mais tarde recordar, made in anadia!

“Mãe dá tudo o que sabe”!

Dezembro 21, 2008

mae_suporta_pilar

“estimados matulões e matulonas como eu, sou uma sortuda pois tenho uma raridade de Mãe. dá tudo o que sabe e o que nem a quarta classe teve a chance de ensinar. bem cedo fez-se à vida. por uma mão cheia de pedrinhas passou por cima e ganhou com humildade. hoje, suporta bem e com classe… e o resto, só nós sabemos”.

[uma coisa garanto: viro-me para trás e seguras sinto que estamos!]

a minha Senhora Mãe que mais parece minha irmã celebra hoje 58 anos!

banqueiro do BPN, respeitado na terra onde nasceu, tem “mansão” em mataduços.

Novembro 22, 2008

“não tenho nada que dizer dele, é humilde. sei que gastou muito dinheiro para pôr a casa em condições. aquilo é um luxo lá dentro. vem aqui muito rara vez e vai logo embora.”… segundo vizinha há 40 anos de Oliveira e Costa em mataduços, esgueira, aveiro. casa_oliveira_da_costa_mataducos_aveiro1

filho de antigo patrão da empresa bóia & irmão, de Oliveira e Costa, só lhe conhece qualidades. http://dn.sapo.pt/2008/11/22/economia/o_self_made_man_mudou_a_maquina_fisc.html

“um filho humilde e trabalhador da terra” tentado ao poder?

 

agradece sem fazer espectáculo

Agosto 21, 2008

    na mão o Santo António, o primeiro que a mãe lhe deu.

um dos maiores representantes da pintura figurativa de Portugal, José Mendonça pintou a ria de aveiro como ninguém, o motivo para 55 anos de inspiração e de uma humildade que só quem lidou logo á primeira vez pois recebe os aplausos, agradece e sem fazer espectáculo disso.

tem a paixão dos Santo Antónios. por dentro e a porta de casa, 150 se contam, pelo menos. 

vê-se logo quem entra e quando se sai. pinta com serenidade a vida, a ria, a cidade e as pessoas, que não são perfeitas.

colecciona também o trabalho de outros pintores.

vêem? mostra ainda, e idem a pessoa que é.

na casa do José cabe tudo, a humildade mora lá.

e não custa nada.