Posts Tagged ‘“escutas de José Sócrates a Armando Vara’

biocant PME: “o primeiro-ministro não poupou elogios…”

Fevereiro 10, 2010

[…] o primeiro-ministro não poupou elogios a um “projecto que merece ser enaltecido e valorizado”, em parte, por ter conseguido aproximar as universidades das empresas. e frisou o facto de o parque de biotecnologia português ter sido criado em cantanhede, e não em coimbra, aveiro, lisboa ou porto. “este é um cluster que serve o país e tem ambição de se colocar na rede internacional. pretende-se fazer algo que compita no mercado global. e é mais difícil fazê-lo em cantanhede”, sustentou. […]

http://jn.sapo.pt/paginainicial/pais/concelho.aspx?Distrito=Coimbra&Concelho=Cantanhede&Option=Interior&content_id=1490799

processo “face oculta” e a legalidade das escutas:

a publicação de excertos das escutas do processo “face oculta” por parte do semanário sol – que o primeiro-ministro classificou ontem de “crime” – é legal caso esteja em causa um “direito fundamental”. quem o garante são alguns dos especialistas contactados pelo DN, que defendem que este é um dos casos em que se aplica a “exclusão de ilicitude”.

[…] quem também não teve dúvidas foi o primeiro-ministro (ver texto em baixo) que considerou que a publicação das escutas “é um crime contra as pessoas e crime contra a justiça (…) abuso por parte dos jornalistas”. […]

http://dn.sapo.pt/inicio/portugal/interior.aspx?content_id=1491032

“polémica destruição das escutas de José Sócrates a Armando Vara” – face oculta

Novembro 23, 2009

o vice-presidente do conselho superior da magistratura (CSM) vai prestar amanhã “esclarecimentos” sobre a polémica relativa à destruição das escutas telefónicas do processo face oculta que envolvem o arguido Armando Vara e o primeiro-ministro, José Sócrates. […]

em causa estão alegadas divergências do juiz de instrução do processo face oculta, António Costa Gomes, relativamente à decisão do presidente do supremo tribunal de justiça (STJ), Noronha do Nascimento, que determinou a destruição de seis escutas, que declarou nulas.

segundo o procurador-geral da república (PGR), o primeiro-ministro, José Sócrates, apareceu em 11 escutas a Armando Vara no âmbito do processo face oculta, que investiga alegados casos de corrupção e outros crimes económicos relacionados com empresas do sector empresarial do estado e empresas privadas.

nas restantes cinco escutas, o PGR disse no sábado que também “não existem elementos probatórios que justifiquem a instauração de procedimento criminal” contra José Sócrates, pelo que ordenou o arquivamento dos documentos. […]

http://dn.sapo.pt/inicio/portugal/interior.aspx?content_id=1428501